Programa de Formação Continuada discute o ensino híbrido, tecnologias e contemporaneidade

Publicado em 11 de fevereiro de 2021.

Em consonância com a dinâmica do cotidiano dos profissionais, a nova proposta do Programa de Formação Continuada de Professores do UNISBA trouxe discussões relevantes em sessões remotas. Foram três momentos distintos sobre o tema “O contemporâneo na formação de professores”, nos dias 08, 09 e 10 de fevereiro, das 19h às 21h20, via Google Meet. Participaram os coordenadores de curso e docentes da Instituição. A organização dos encontros ficou a cargo da Vice-reitoria e do Centro Multidisciplinar de Apoio Pedagógico e Psicossocial (CeMAPP).

Os objetivos das atividades foram pautados na análise das possibilidades do ensino híbrido na contemporaneidade e os itens avaliativos formais, nas possibilidades do processo de ensino e aprendizagem de formas criativas e motivadores na educação on-line e o reconhecimento de novos recursos mediadores e instrumentos pedagógicos avaliativos na educação superior.

Na noite da segunda-feira (08), o tema girou em torno do currículo híbrido na educação superior. Abrindo as falas da primeira noite, tivemos a presença da Prof.ª Dr.ª Rita Margareth Costa Passos, Reitora do UNISBA. Ela declarou sentir falta da presença física de toda a comunidade acadêmica, mas que a segurança e a saúde de todos é muito mais importante neste momento, por isso, uma discussão sobre o ensino híbrido é de extrema importância e devemos voltar os nossos olhares para essa nova exigência que o momento exige.

Na sequência, tivemos a palestra da Prof.ª Dr.ª Denise Guerra (UFBA). Doutora em Educação, Denise nos coloca que a máxima neste momento é estarmos com os olhares sensíveis para este novo “normal”. Precisamos pensar nas experiências do sujeito para pensarmos no currículo educacional que melhor se adeque à realidade dos estudantes, logo, a produção curricular é contínua e precisa ser pensada e repensada constantemente. Além disso, currículo deve ir além das capacitações profissionais, transpassando para os aspectos culturais e sociais. Desta forma, o currículo fará sentido para o sujeito implicado (aprendente).

Para fechar a noite, a Prof.ª Dr.ª Maria Ornélia Marques Vice-reitora do UNISBA, salientou a importância do assunto discutido, valorou os conhecimentos da palestrante e fez os seus agradecimentos a todos os presentes.

No segundo dia do evento (09), tivemos a palestra virtual “O Google Meet na sala de aula contemporânea e as novas linguagens virtuais”, ministrada pelo Prof. Me. Bruno Olivatto (UFBA). Assistida por dezenas de docentes e mediada pela professora mestra e coordenadora do Centro Multidisciplinar de Apoio Pedagógico e Psicossocial (Cemapp), Izaura Furtado.

A apresentação foi muito rica, desmistificando o que é o contemporâneo e tudo o que o influencia. E focou na cibercultura, movimento que está intimamente ligado à contemporaneidade e é um elemento definidor do modo de vida moderno. Isso se reflete nas salas de aulas, alterando a sua concepção e a forma como se ensina. A sala de aula atual é interativa, feita de muitos para muitos, onde o professor deixa de ser o centro e passa a ser o responsável pelo gerenciamento das relações trans(hiper)midiáticas que disseminam a pedagogia.

Após a finalização da palestra, tivemos perguntas e respostas, o que gerou um debate de alto nível e trouxe grandes trocas de experiência e muitas dicas bacanas para melhorar, ainda mais, a qualidade do ensino do UNISBA.

Para encerrar a noite, contamos com a presença da Reitora da Instituição – Prof.ª Rita Margareth Passos – que elogiou o professor Bruno e as suas linhas de pesquisa e de ensino. Ela agradeceu as provocações trazidas por ele e a importância delas para auxiliar no planejamento dos cursos.

A terceira e última noite (10) do Programa de Formação Continuada para docentes iniciou com as falas da Vice-reitora do UNISBA, Prof.ª Dr.ª Maria Ornélia Marques, que agradeceu aos palestrantes, participantes e organizadores do evento, em especial os coordenadores dos cursos da Graduação, que participaram ativamente na proposição dos temas discutidos durantes os três dias do evento.

Na sequência, o Prof. Phd José Gileá de Souza (UNEB) deu início à Oficina “Avaliações formais na educação superior: aspectos técnicos e semióticos”. Ele começou contando sua história na docência e como elaborou a sua primeira avaliação. A partir disso, apresentou uma parábola e partiu para os desdobramentos que o ato de avaliar implica e os questionamentos que precisam ser feitos (o que vai ser avaliado, como vai ser avaliado, quem vai ser avaliado etc.) para a elaboração do documento, trazendo os aspectos técnicos a discussão.

Após a apresentação dele, a Prof.ª Ma. Adriana Pedreira Telles (UNISBA) deu início à sua. Responsável por abordar o tema semiótica, usou de memes para explanar, o que tornou o momento muito divertido, além de muito instrutivo. Ela colocou que as questões de uma avaliação podem se apresentar na versão verbal ou visual, e que devemos ficar atentos aos objetos de significação ali contidos, com isso, as chances de acertos aumentam.

Ao final da oficina, o momento foi aberto para perguntas e respostas, dando origem a uma discussão muito bacana e um tira-dúvidas fantástico. Para fechar o evento, a Vice-reitora retornou à fala, agradeceu a presença de todos e ressaltou a importância deste evento para a melhoria constante da qualidade do ensino do UNISBA. Todo aprendizado recebido durante estes três dias serão alicerce para o planejamento dos cursos da Graduação para o primeiro semestre de 2021, cujos encontros acontecem nos dias 11 e 12 de fevereiro, por meio de reuniões remotas, realizadas virtualmente.

Últimas Notícias